Ellen Nascimento

Blog Jornalístico

Cantor Gabriel Diniz morre ao sofrer acidente de avião em Sergipe

Publicado em: 27 de maio de 2019 | por: admin

Caiu, no início da tarde desta segunda-feira (27) um avião bimotor no sul do Sergipe. De acordo com informações do Record Minas, o cantor sertanejo Gabriel Diniz estava na aeronave.

O Corpo de Bombeiros Militar da Região foi acionado para prestar socorro na região de Porto do Mato, em Estância (SE). O avião saiu de Salvador e caiu em uma região de manguezal.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram os documentos do cantor e do resgate chegando.

A assessoria de imprensa confirma a morte do cantor.

Morre o comunicador Osvaldo Souza, o “Mandou Legal”

Publicado em: 26 de maio de 2019 | por: admin

Morreu no início da tarde deste domingo (26), o apresentador de TV Osvaldo Souza, carinhosamente chamado pelos amigos de “Mandou Legal”. Osvaldo lutava contra um câncer na garganta, diagnosticado em 2016. Ele estava internado no Hospital de Câncer do Maranhão.

Osvaldo Souza foi um dos nomes mais importantes da Cultura Popular Maranhense, especialmente o Bumba Meu Boi. O Blog da Ellen Nascimento se solidariza com os familiares e amigos de Osvaldo neste momento de dor.

Manifestantes fazem ato pró-Bolsonaro em São Luís

Publicado em: 26 de maio de 2019 | por: admin

Manifestantes realizaram na manhã deste domingo (26) um ato a favor do governo Bolsonaro em São Luís. A organização aconteceu pela internet por meio de vários grupos, como a União da Direita Maranhense (UDM) e a ‘Endireita Maranhão’.

A manifestação aconteceu de forma pacífica e iniciou por volta das 9h na Praça do Pescador. O hino nacional foi executado e bandeiras do Brasil se espalhavam pela Avenida Litorânea.

Depois, por volta das 11h30, os grupo saiu em passeata pela avenida até o encerramento do ato, em torno das 12h20. De acordo com os manifestantes, mais de mil pessoas participaram do ato. O Batalhão de Polícia Militar de Turismo (BPTur), que acompanhou a manifestação, informou que não iria divulgar estimativa de participantes.

O ato foi a favor da reforma da previdência, do pacote anticrime elaborado pelo ministro Sérgio Moro, de uma votação nominal da medida provisória 870, que estruturou o governo do presidente Jair Bolsonaro e também de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigue membros do Supremo Tribunal Federal (STF), a chamada ‘Lava Toga’.

Com informações do G1

Em Bom Jesus das Selvas, polícia prende casal em operação contra pedofilia

Publicado em: 17 de maio de 2019 | por: admin

Uma operação da Polícia Civil do Maranhão, por intermédio da 9ª Delegacia Regional de Açailândia e Delegacia de Bom Jesus das Selvas prendeu em flagrante na quinta-feira (16) na cidade de Bom Jesus das Selvas, a 465 km de São Luís, um casal suspeito de praticar crimes de pedofilia contra a sua própria filha.

A polícia afirma que a prisão de Cristiano Alves Vieira e Fernanda da Silva de Oliveira só foi possível após uma denúncia anônima que informou aos policiais que Cristiano Alves abusava sexualmente de sua própria filha e armazenava materiais na residência dele.

Diante da denúncia, a polícia decidiu verificar a veracidade dos fatos e após uma busca e apreensão na casa do casal encontrou diversos pen-drives contendo cenas de sexo com crianças e adolescentes, bem como foram apreendidos aparelhos celulares, um notebook e uma pequena porção de maconha.

A operação policial ainda encontrou no quarto da filha de Cristiano e Fernanda diversos preservativos e no lençol da cama da criança continha algumas marcas de sangue, razão pela qual a polícia determinou a apreensão do lençol e o encaminhamento para o Instituto de Criminalística (Icrim) a fim de confirmar se o sangue seria da criança.

De acordo com a polícia, a filha do casal que estava acompanhada de equipe do Conselho Tutelar e da sua avó materna, relatou em depoimento que a sua mãe já teria lhe mostrado um pênis e que o seu pai já teria a passado a mão por seu corpo de modo inapropriado.

Cristiano Alves Vieira e Fernanda da Silva de Oliveira foram presos e autuados pelos crimes de estupro de vulnerável, venda e exposição de fotos e vídeos pornográficos envolvendo crianças e adolescentes.

G1MA

Ex-prefeito de Arame é condenado a ressarcir 3,3 milhões ao município

Publicado em: 13 de maio de 2019 | por: admin

O juiz João Vinícius Aguiar dos Santos condenou o ex-prefeito municipal de Arame (MA), João Menezes de Souza, às penas de pagamento de R$ 3.310.746,00 por danos causados ao erário municipal; multa de 70 vezes o valor da remuneração no cargo; à proibição de contratar com o poder público por cinco anos e suspensão dos direitos políticos por oito anos. A mesma sentença mantém a indisponibilidade dos bens do ex-gestor, até a quitação das penas.

O ex-prefeito respondeu à Ação Civil Pública Por Ato de Improbidade Administrativa movida pelo Ministério Público Estadual, fundamentada na desaprovação das contas apresentadas pelo ex-prefeito do ano de 2009, conforme acórdão Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) nº 1062, de 7 de abril de 2011.

Com base no Relatório de Tomada de Contas/2010, sobre a prestação de contas do FUNDEB de Arame, foram constatadas diversas irregularidades na prestação de contas do município, conforme aponta a decisão do TCE. Dentre as irregularidades, ausência de apresentação de documentos; dispensa indevida de procedimentos licitatórios, e notas fiscais não acompanhadas do documento de autenticação para órgãos públicos, cujos débitos totalizam R$ 3.310.746,00.

Segundo os autos, 17 licitações foram dispensadas sem base legal, somente com a justificativa genérica de “fortes chuvas” no município, sem indicar quantas pessoas atingidas, quais bens públicos destruídos/danificados, por exemplo, contrariando a Lei das Licitações nº 8.666/93, que rege a contratação de serviços pela administração pública.

DEFESA – O réu alegou a existência de situação de emergência no Município de Arame para a prática dos atos, conforme Decreto Municipal nº 24/2009, além da ausência de improbidade e dolo, prejuízo ao erário ou enriquecimento ilícito de sua parte. Para contestar as conclusões contidas no Acórdão PL-TCE 1062/2011, ele deveria ter demonstrado a existência de fato impeditivo, modificativo ou extintivo na acusação, mas não apresentou provas quanto a isso.

Na sentença, o juiz explicou que a existência de situação de emergência no Município de Arame até autorizaria o Administrador a dispensar as licitações, no entanto, da maneira praticada pelo gestor desrespeita os limites impostos pela Lei de Licitações (8.666/93.

O juiz assegurou que foi anexada aos autos cópia do Diário Oficial de 21 de maio de 2009, que contém a edição dos decretos 024 e 025/2009, os quais dispensam a licitação por situação de emergência em razão de chuvas, mas que essas dispensas incluem a prestação de serviços de assessoria educacional, ornamentação de eventos e até a prestação de serviços de publicidade.

Para o juiz, não tem cabimento a alegativa de que os gastos realizados tenham sido realizados em virtude unicamente das chuvas, pois todos os gastos correspondem a necessidades corriqueiras da Municipalidade, que usualmente, utiliza material de limpeza, combustível e serviços mecânicos para seus veículos, móveis e utensílios, gêneros alimentícios para os mais diversos segmentos e serviços de perfuração/instalação de poços artesianos.

“Assim, percebo que agiu o gestor de forma dolosa, pois de forma livre e consciente, teve a intenção deliberada de violar a lei, dispensando a licitação no caso em comento, determinando a realização do ato administrativo de forma contrária ao estabelecido no Art.24 de Lei nº 8.666/93, assim, destaco que o ‘quando, o ‘se e o ‘como’ atuar estavam sob seu domínio, podendo ainda, fazer cessar a execução a qualquer momento, fato que não ocorreu”, ressaltou o magistrado na sentença.

O juiz deixou de condenar o ex-prefeito à perda da função pública, em razão dele não ocupar o cargo atualmente. E ressaltou, finalmente, que a pena de suspensão dos direitos políticos determinada só deve ser efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória, nos termos do art. 20 da Lei nº. 8.429/92.