Ellen Nascimento

Blog Jornalístico

‘Maio Amarelo’ começa na próxima terça (2)

Publicado em: 27 de abril de 2017 | por: admin

c_20052016acoesdomaioamareloorientamsobreaeducacaonotransito

A partir do mês de maio, o Ministério das Cidades, por meio do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) dará início a campanha internacional Maio Amarelo – Atenção pela vida, que marca a mobilização para a diminuição dos acidentes de trânsito.

A partir da próxima terça-feira (02), a campanha dará início em todo o país, onde os funcionários do trânsito deverão usar roupas e acessórios amarelos para reforçar a conscientização. A programação do ‘Maio Amarelo’ irá contemplar blitz educativas com distribuição de material com dicas de segurança e orientação aos condutores; palestras em escolas da rede pública e privada, em empresas e órgãos públicos; ações educativas em bares e restaurantes da capital, com o projeto ‘Direção Certa, mais que um papo de bar’. Também serão realizados eventos de maior proporção como Caminhada e Corrida.

A coordenadora de Educação para o Trânsito do Detran, Rositânia de Farias, destacou a importância dessa mobilização e o envolvimento de vários órgãos, não só os ligados ao trânsito, para chamar a atenção da sociedade para a mudança de comportamento.
“Devemos trabalhar firmemente na educação para o trânsito para que cada condutor tenha consciência de que fazendo a sua parte, podemos ter um trânsito mais seguro. Vamos realizar uma grande campanha com a ajuda de todos os parceiros, que deverá prosseguir durante o ano inteiro”, destacou a coordenadora ressaltando ainda que mais parceiros vão participar das ações.

Maio Amarelo

O Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

O objetivo do Movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, fugindo das falácias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.

Com informações da Assessoria

Deixe seu comentário